[Espanha] Arquivada a causa contra nove anarquistas acusados de terrorismo

Recebido no email:

B5HfDJdCYAA2R-b
O juiz critica os Mossos (polícia) por não haver aportado nenhum indício contra os detidos na “Operação Pandora II”

A Audiência Nacional arquivou a causa aberta contra um grupo de anarquistas catalães acusados de terrorismo. Os Mossos d’Esquadra (polícia catalã) lançaram a segunda fase da chamada Operação Pandora em outubro do ano passado. Além dos nove detidos, registraram uma dezena de espaços libertários em Barcelona para desmantelar uma suposta “organização terrorista de corte anarquista”. O Tribunal, no entanto, crê que não existam indícios de tais delitos.

“O único resultado obtido pelos investigadores é de que os investigados se relacionam com pessoas do coletivo anarquista”, sustentou a magistrada no processo que coloca em mau lugar o trabalho dos Mossos d’Esquadra, a quem acusa de não haver produzido provas relativas aos registros de outubro. Nessa operação, a polícia apreendeu vários documentos, assim como material de informática.

Os grampos telefônicos apresentados pelos Mossos tão pouco convenceram a magistrada. “Não se indicou ao largo das investigações que frases ou conversas concretas poderiam estar se referindo a um ato concreto de terrorismo”. A falta de “nenhum avanço substancial” leva a magistrada a decretar o arquivamento da causa, o que os coletivos anarquistas celebraram como uma vitória.

Os Mossos lançaram a operação em Barcelona e Manresa e detiveram a noves pessoas entre 26 e 32 anos. Os investigadores relacionavam essas pessoas com outros 11 detidos em dezembro de 2014 na Operação Pandora, cuja instrução do processo segue em aberto e tem em seu epicentro o centro okupado Casa de La Muntanya, em Barcelona.

This entry was posted in Espanha, Guerra Social, Operação Pandora, Solidariedade. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *