Carta de Gabriel Pombo da Silva saindo da prisão e entrando em clandestinidade

pisadas

Retirado de Contra Info e traduzido ao português:

Nota de Cumplicidade:                                                                        É com muita alegria que difundimos a saída das jaulas de Gabriel Pombo da Silva. Depois de passar mais de 30 anos encarcerado, saber que hoje seus passos acompanham o vento nos enche o coração de alegria. Saudamos com muita cumplicidade sua decisão de passar á clandestinade, que as sombras e as estrelas acompanhem tuas pegadas rebeldes…

Querid@s compañer@s;

Queridxs companheirxs, depois de muitos vai e vens por parte das instituições carcerárias e de interior, encontraram-se obrigadxs a cumprir suas próprias leis, que por outra parte, nunca cumprem, e aqui finalmente estou livre, redigindo essas primeiras palavras de gratidão e amor a todos e a todas lxs que durante estes últimos 30 anos têm-me acompanhado e reafirmado nas minhas próprias crenças anárquicas, levando a cabo valores e princípios tão básicos do anarquismo como são o apoio mutuo e a solidariedade e que finalmente lograram me arrancar das garras da besta carcerária, a qual seguirei combatendo desde a rua sem me esquecer, obviamente, do próprio combate que se está dando fora, pois para mim, basicamente não há somente diferenças entre um sistema e o outro.

Tenho muito claro que ainda dentro de tudo isso, me sinto bastante privilegiado por ter contado com o apoio dxs companheirxs pois são muitxs xs que não gozam desta possibilidade. Nos próximos dias lançaremos mais comunicados entrando já em matéria mais especifica no que se refere a nosso movimento e as possíveis estratégias que devemos desenvolver para sanar de todo institucionalismo e cordialismo o anarquismo revolucionário de nossxs maiores, Quero que conste que jamais esquecerei dxs nossxs companheirxs libertarixs encarceradxs no estado espanhol e no mundo, particularmente a Mônica, Francisco, Claudio e a última companheira detida que proximamente será extraditada ao estado alemã, deixando a muitxs sem nomear.

Fica muito por fazer, mas está claro que não ficará só em vontades, ilusão e empenho. Nesses instantes não vou me referir ás mesquinhezas postas em prática pela administração carcerária para tentar impedir minha saída. Isso o documentaremos com papeis oficiais, nos que se denta, claramente, o tosca e afutricada que é a administração de justiça deste país. Sou livre e, segundo parece, em 45 dias pretenderão querer me encarcerar novamente, me soltarão de novo seus galgos. Obviamente não entrarei voluntariamente, nem participarei de nenhum modo em algum tipo de saída pactuada ou negociada com a “escória”, pelo tanto, suponho que não tenho mais opção que seguir como sempre, lutando desde as sombras, apoiando aqueles processos e projetos antiautoritarios que considero necessário impulsionar, apoiar, com todos os meios no meu alcance desde a clandestinidade que me impõem.

Mencionar a todas as pessoas e organizações que durante todos esses anos me apoiaram seria impossível, porque são demasiadas. Só que saibam que podem contar comigo ontem, hoje e sempre para o anarquismo e a revolução social. Desde um lugar hoje, fora dos muros, imensas saudações a todxs meus irmãos em latino America e no sul da Europa, com a confiança que nos encontremos neste trajeto e projeto de emancipação, que são nossas vidas em luta.

Gabriel Pombo da Silva

This entry was posted in Guerra Social. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *