Noite… Solidariedade Anarquista com xs presxs em Guerra

Recebemos no email e traduzimos:

df

jjh

 

Comunicado:

Nesta noite fria e chuvosa decidimos romper a monotonia cidadã, decidimos sair nas ruas e compartilhar na distância, o calor que desde nossos negros corações emana e nos une. Cada companheirx caidx, encarceradx, torturadx, nunca é esquecidx, e já seja com grandes gestos ou pekenhos como este, rompemos essas grades e escapamos da distancia, como as estrelas encobertas sob as espessas nuvens da fria noite que passam invisíveis diante dos olhos passivos dxs cidadãxs, mas que estão sempre presente em cada um de nós: indômitos e selvagens de coração livre.

Cada gesto sincero rompe o isolamento e também é um golpe para aquelxs que querem tombar os nossos sonhos. Assim, queremos aproveitar para dar um enorme caloroso e fortalecedor abraço à companheira Tamara Sol Vergara, pela tua firmeza e convicção de guerreira, assim também como a sua família que faz pouco foi vitima do acosso e os maus tratos por parte dos nojentos carcereirxs.

Ao companheiro Gabriel Pombo Da Silva, companheiro quem recentemente foi mandado a um regime de isolamento e quem firmemente se mantém digno faz tantos anos.

Também aproveitamos para dar nossos ânimos aos companheirxs brasileirxs, a vocês que resistem dia a dia e não se calam no transcurso da copa do mundo, resistindo as grandes repressões, desalojos e assassinatos que estão sendo cometidos pelas forças repressivas desse estado. Mais uma vez, trata-se de ocultar a criminalização com o circo futebolístico, alentando a competência e distraindo a atenção dos verdadeiros problemas que enfrentamos dia-dia em diferentes pontos do território. Axs valientes guerreirxs indígenas e não indígenas que enfrentam cara a cara o poder vai nosso animo e piscadela cúmplice.

Também lembramos já dois anos desde a perseguição ao movimento libertário anarquista no estado boliviano, e dois anos não passam sozinhos e é inegável fazer uma revisão dos fatos e das atitudes de muitxs nesse lugar. Nesses dois anos fomos vendo diferentes atitudes que se iam tomando e na raiz disso, íamos também forjando nosso posicionamento de luta.

Creio que não esta demais também mostrar e lembrar as atitudes covardes de muitxs personagens dessa região (o qual, na sua maioria, podem-se ler de novo as declarações dxs mesmxs como em comunicados publicados pelas mesmas organizações e individualidades, assim também, recomandamos a leitura do texto publicado por compas dessa região: “entre Escombros y Fantomas” (em espanhol aqui (link)), as quais passamos a enumerar:

* Os plataformistas da O.A.R.S e Red Verde em especial a renatto vicentti, victor hugo Gironda acusados e apressados no dia 29 de maio (2012) os quais rapidamente decidiram colaborar com as forças repressivas proporcionando nomes, endereços e mais, também aclaramos que essas duas pessoas foram as primeiras em ter arresto domiciliário (se podemos o chamar assim) e posteriormente ganhar a sua liberdade. Sem ter tido nenhuma audiência.

*Jeffer vicentti, omar luna, também membros da O.A.R.S e o movimento Skinhead junto com todxs os do seu grupo foram os que posteriormente se tomaram o labor de seguir brindando dados para a policia, chegando também a cumprir o mesmo papel.

*Nina Mancilla, acusada e apressada no dia 29 de maio (de 2012). Se bem num começo se manteve firme não duvidou logo em pedir prisão para companheirxs, brindar dados, nomes, endereços e iniciar uma perseguição pessoal com companheirxs fugindo.

* Virginia ayllon, Paola Stensoro: Pessoas vinculadas faz anos ao movimiento libertario boliviano, mesmas que não duvidaram em realizar uma caça de bruxas aos que elxs consideravam culpadxs igual que outros muitos nomes de pessoas do seu entorno usando muitas vezes as redes sociais para a sua caça.

* Mayron Mioshiro (krudo) acusado e apressado no dia 29 de maio (de 2012), num começo se manteve firme para logo passar a cometer uma serie de erros os quais para nós foram suficientes para lhe quitar o nosso apoio. Ao reler seus comunicados seguimos mantendo essa postura, acreditamos que não dar-lhe valor a isso é perpetuar a delação a futuro. Sabemos que a situação na prisão é dura, mas entre companheirxs devemos mostrar nossa sinceridade e apoio sincero e concreto, achamos que se Mayron teria sido sincero desde um começo as coisas seriam distintas. Alentamos a fazer uma leitura dos seus comunicados em ordem cronológica para um maior entendimento e critica.

Assim, decidimos compartilhar essas palavras que nascem de nossos corações, e desde nossas limitações por que não achamos necessário fazer um chamado à solidariedade com xs presxs em guerra ao redor do mundo, também fazer um chamado a critica e à autocrítica diante atitudes que não podemos repetir e pelas quais devemos nos preparar para não cometer os mesmos erros nem cair nas mesmas.

A traição, a delação, a difamação não podem ganhar espaço em nossos espaços autônomos, em nossas individualidades por isso mesmo é preciso ataca-las, discuti-las, saca-las na luz e elimina-las para que não se repitem. Ao deixar passar por alto esse tipo de atitudes estamos endossando as mesmas. Queremos dar nossa grande piscadela cúmplice, nosso abraço acrata livre e selvagem ao companheiro Henry Zegarrundo, guerreiro que se mantém digno e firme em tudo esse tempo, com raiva vemos as constantes suspensões de audiências que ridiculamente vem gestando o estado Boliviano, esperemos em breve poder estreitar nossos braços. Saúde companheiro!

Também vão nossos mais imensos carinhos e abraços para vocês compas firmes e guerreirxs: Hans Niemeyer, Illya Romanov, Monica e Francisco, Marco Camenish, Alfonso Alvial, Hermes Gonzalez, Juan Aliste Vega, Freddy y Marcelo e todxs xs presxs e clandestinxs em luta ao redor do mundo, cada um de vocês sempre esta presente em cada passo insurrekto que damos, em cada sorriso cúmplice k brindamos, em cada ataque k logramos, igual que vocês e sempre: Mauricio Morales, Sebastian Oversluij!

Pela liberdade de nossxs companheirxs em guerra!

Contra a delação: solidariedade anarquista!

 

Ultimas noites de Junho 2014
Célula Individualista de la Noche

This entry was posted in Bolivia, Caso Security, Copa do mundo, Guerra Social, Luta Indígena, Mauricio Morales, Memoria Combativa, presxs, Solidariedade. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *