México: A polícia sequestra, interroga, agride e deporta o compa Gustavo Rodríguez

Retirado de Contra-Info:

Mexico: A policia sequestra, interroga, agride e deporta o compa Gustavo Rodriguez.

 Ha algumas horas o companheiro Gustavo comunicou depois de ter permanecido desaparecido desde o passado dia 29 de Dezembro. Brevemente relatou-nos que foi detido por agentes federais e que foi submetido a fortes interrogatórios. Gustavo comenta que foi agredido e que passadas umas horas, e não o podendo acusar de nada, foi deportado para os Estados Unidos.

Esta deportação faz parte da política anti anarquista que o governo mexicano começou a implementar desde há meses, pelo que convidámos a estarem atentxs ao que pudesse ocorrer nos dias seguintes.

Agradecemos a todxs xs que difundiram o comunicado sobre a desaparição de Gustavo e pedimos que esta nova informação seja difundida.

Solidariedade com Gustavo!
Liberdade a todxs!

Cruz Negra Anarquista

Cidade do México: Desaparição do compa Gustavo Rodríguez

Companheiros tentaremos ser o mais breve possíveis mas objetivos.

Desde o fim da tarde, quase à noite, de 29 de Dezembro, o último día das Jornadas informais anarquistas – Simpósio anarquista internacional, e até ao dia de hoje, o companheiro anarquista Gustavo Rodriguez Romero ainda não tinha aparecido.

Na tarde de 29, aproximadamente às 7:30 da tarde, o companheiro Gustavo partiu sózinho do auditório Che Guevara para se dirigir ao metro Copilco, com vista a se reunir mais tarde com a sua companheira de vida, para empreender a viajem de regresso a casa. Coisa que nunca aconteceu, pois Gustavo não chegou.
Cinco minutos depois da partida de Gustavo uma companheira, que permanecia no evento mencionado, recebeu uma chamada do telefone de Gustavo na qual se escutavam sons estranhos e após uns segundos cortou-se a ligação. Ante a suspeita a companheira marcou o número em repetidas ocasiões mas não obteve resposta e deu por assumido que mais tarde se informaria como haviam combinado.

Na tarde de ontem, 30 de Dezembro, a mesma companheira recebeu uma mensagem da companheira sentimental e de vida de Gustavo, perguntando por ele e dizendo que não havia chegado a casa, e que quando isto chega a acontecer ele avisa sempre e nunca deixa de telefonar, pois Gustavo não brinca com coisas deste tipo nem tampouco é de ir em paródias (festas)ou coisas assim.

Até à manhã de hoje não pudemos encontrá~lo em nenhum lado, nem em hospitais, nem em esquadras de polícia, nem no centro de detenções para estrangeiros, dado que ele nasceu em Cuba e tem passaporte norte-americano, não o localizámos em nenhum lado. A PGR (Procuradoria Geral da República)disse que não têm sob retenção nenhuma pessoa com este nome.

Queremos sublinhar que isto aconteceu no meio de um clima assédio por parte da polícia da GDF, começando quando vários coletivos anti autoritários, anarquistas e libertários afins regressavam ao conhecido auditório Che Guevara que se situa na faculdade de filosofía e letras da UNAM mas que se intensificou quando començou o Simpósio Internacional Anarquista / Jornadas informais anárquicas. Desde aí até  hoje, os companheiros que entram e saem do auditório têm sido insultados, tiram-lhes fotografias, seguem-nos a pé e de automóvel, também têm enviasdo «jornalistas» camuflados para fazerem perguntas comprometedoras, etc.

Gustavo Rodríguez é um companheiro anarquista de 54 anos, que tem escrito uma infinidade de artigos sobre política social, enfocados, na sua maioria, no anarquismo assim como tem realizado importantes contribuições para o desenvolvimento da perspetiva anarquista insurrecional. O seu último trabalho foi ele, ele o compilador base para a edição do livro «Que se ilumine a noite!» Génesis, desenvolvimento e auge da Tendência informal anarquista no México, editado recentemente pelas edições Internacional Negra. Ele tinha ido ao Simpósio Informal Anarquista para participar dando uma palestra para a qual foi convidado, palestra essa sobre “O anarquismo, a insurreição e a guerra social”.

Queremos salientar que o companheiro Gustavo recebeu também represálias verbais e escritas por parte de alguns grupos da ezquerda revolucionária, ante as múltiplas críticas que ele realizou acerca destes grupos esquerdistas, tendo entre essas respostas também havido lugar para tentativas de o evidenciar e de o assinalar como “líder”, o cabecilha de grupos de ação anarquista que têm atuado no contexto anarquista e na geografia mexicana.

Exigimos a apresentação com vida do companheiro Gustavo Rodriguez Romero!

Assinalamos como principal responsável o Governo do Distrito Federal por esta desaparição forçada, dado o clima de assédio e repressão contra xs anarquistas que se tem vindo a desenrolar nos últimos meses!

Incitamos a solidarizarem-se, pois a solidariedade é a nossa arma!

cnamexico@riseup.net
solidaridad_gustavo_anarquista@riseup.net

This entry was posted in Guerra Social, Solidariedade. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *