[SP-Interior] OKUPAÇÃO LAMA NEGRA

Recebimos no email o seguinte texto desde Atibaia, um texto que comunica a vivencia anarquica de alguns companheirxs…

t

OKUPAÇÃO LAMA NEGRA

Esta que percebemos como uma zona autônoma que foi temporária. E para xs corajosxs ou covardes, sim ela existiu…E a partir destes passos amadurecemos proporcionando a acensão do pensamento, dos sentires, nos tornando mais fortes e incomodativas aos olhos de um conservadorismo que nos causam asco.

Potencialidades koletivas transcendem quando xs individuxs são capazes de buscar a convicção em si mesmx e aflorar a sensibilidade de que a luta pela anarquia não termina, não cessa, mais sim que vai adelante e que enfrenta o inimigo em si mesmx, além de enfrentar toda a moral e os cárceres que a cerca e xs mesmxs envolvidxs são xs que a fazem. Aki como compas ansiamos por uma zona temporal ou não que nos possibilitasse vivenciar experiências horizontais, de repropriação de nossas vidas, da expropriação dos rekursos que fazem os seres acreditarem que estão vivendo “dignamente” e assim a experimentamos nos decorrer de um ano com a contribuição dxs envolvidxs, dxs que somaram, porque também somos nômades, rebeldes, insubmissxs como tantxs também o são e da mesma forma ainda somos poucxs.

Nesta mesma localidade Atibaia-SP existiu a okupa Casa Reciclada que resistiu durante 8 anos, hoje a casa também cheia de vida trás outro contexto, tornando se uma “causa ganha”…da mesma forma foi punk, anarka, dadaísta e para xs que também compartilharam junto a ela sabem que a mesma também agregou luta em uma caminhada contraria a essa existente, ambas junto de suas atividades, livroteka, contra cultura também tocaram aquelxs que de certa forma questionam uma existência apaziguadora, sufocante.

Okupas surgem, damos vida a fábricas, casas, propriedades do estado. As mesmas resistem e com o tempo caem deixando de existir…Mais ainda estamos vivxs relembrando sempre a memória dxs também caidxs, dxs que se foram lutando, não somente dentro de okupas que são nossos campos fertéis, mais também com suas ações, conspirações…e que essa mesma nunca se desvaneça. Conspiração és necessária, é a arma que nos coloca em estado de agitação, de alerta, de combate…

Aki com água captada, fogão a lenha, banheiro seko e a luz de velas a casa Lama Negra resistiu. e isso é o básico vivenciado em um cotidiano onde nossas rupturas se fortalecem, onde o conflito com a sociedade atual se faz maior. Uma sociedade desigual, capitalista, opressiva não deve ser ignorada jamais. Ataque ao capital e suas estruturas de dominação, morte aos estados, pela natureza, POR NÓS ANARK@S desta geração debiloide. Por uma liberdade talvez até utópica a nós mesmxs, mais que a sentimos em nossos corações e que por isso a praticamos, relembrando que o inimigx sempre nos observa.

Em memória e distancia que aproximam a tantxs que lutam, nas ruas, contra toda uma estrutura que insiste em esmagar nossos desejos, pelos camaradas em greve de fome no México, pelxs hermanxs que diante da opressão do estado Chileno ainda insistem e resistem em suas revoltas dignos de todo apoio mútuo, solidariedade e as ultimas publicações Tierra y tempestad e Kataklismx que kom os ventos que trazem a primavera chegam em mãos dakelxs não esquecidxs, suas palavras são o alimento que nutrem nossos corpos.

PARA QUE A CHAMA NUNCA SE APAGUE. LIVRES E SELVAGENS…VIVA LA ANARQUIA !

This entry was posted in Guerra Social, OKUPAS, São Paulo. Bookmark the permalink.

1 Response to [SP-Interior] OKUPAÇÃO LAMA NEGRA

  1. Ruta Ariska says:

    Salud aka seguimos nossa trilha,rejeitando a ordem estabelecida e seguindo na contra-mão,força e garra companheirxs.((A))
    ‘ capitalismo selvagem mata aos poucos corroendo todo o ser desfigurando toda a sua face naturaL.” roube sua vida de volta.
    VivA!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *