[Buenos Aires, Argentina] Condutas incivilizadas

Extincion-en-unos-meses-de-los-gatos-salvajes-escoceses

Retiramos de ContraInfo e Traduzimos:

Primeiro comunicado
Instinto primitivo: o silencio é o grito

1 de novembro de 2014
Buenos Aires, Argentina

I

Tudo tem seu momento. Existe momentos para falar e existem momentos para fazer silencio. Momentos de ficar quieto e momentos de atuar. A paciência foi e será o maior atributo dos selvagens. Hoje é momento de falar e por isso que temos algumas coisas que dizer.

II

A tecnologia é a morte. Tal e assim que dia a dia, durante milhões de anos, os avances tecnológicos vão multando, exterminando, transformando a Natureza Selvagem, fazendo deste mundo um lugar cada vez menos habitável, artificializando cada espaço de nossas vidas.

Está claro que a tecnologia não é um ente místico que baixa do céu e devora tudo em seu passo, são homens e mulheres os que tomam esta decisão. Existem instituições específicas onde se ensina, e pelo mesmo se aprende, como destruir o Selvagem, artificializando cada vez mais. Claro que estes homens e mulheres, apresentam sua magnífica obra com outras palavras, pretendem ser os salvadores da terra e da humanidade.

III

Se bem no seu momento, o saber tecnológico e científico estava ao alcance de alguns poucos privilegiados, hoje em dia qualquer pode a ceder ao conhecimento científico/tecnológico, ao inscrever se em uma carreira universitária, seja publica ou privada,  um já pode ficar tranquilo que está no caminho da Civilização.

Cada vez são mais os países que, com suas Universidades, se somam à investigação em tecnologia a  nano escala, por exemplo, incorporando carreiras como Biotecnologia, Engenharia Robótica, criando-se instituições específicas relacionadas a Nanotecnologia.

A tecnología a nano escala se soma, além disso, à carreiras como engenharia Industrial, Urbanismo, Biologia, e demais merdas.

IV

Para terminar, nos fazemos cargo de algumas ações contra a Civilização realizadas em 2013-2014, que se mantiveram em silencio até hoje. Ameaça de bomba as oficinas de LAN, ameaça de bomba à Faculdade de engenharia, ameaça para Aníbal Cofone, secretario de Ciência e Técnica da Universidade de Buenos Aires, ameaça de bomba na Universidade Tecnológica Nacional, ameaça de bomba no aeroporto de Ezeiza, especificamente a um vôo de LAN com destino a Santiago de Chile (1). Também, em esta ocasião, nos adjudicamos um atentado com artefato incendiário frustrado contra um Subestação Elétrica no 22 de maio de 2013 (2).

Algumas das anteriores ações tiveram certa notoriedade nos meios de comunicação e outras não. Dentro destas últimas, sem embargo, se encontram aquelas que sabemos têm cumprido com nosso objetivo (3). Mais o chamativo disso e que em muitos casos mesmo sabendo da possibilidade da existência de um artefato explosivo, as autoridades das instituições ameaçadas fizeram caso omisso, evidenciando o pouco que os importam as vidas humanas (4).

V

Somos um grupo que temos tido processos individuais diferentes. Alguns de nos têm atuado baixo outros nomes e siglas, foram aderindo a Federação Anarquista Informal e/o ao Frente Revolucionário Internacional, foram reivindicando mortos e presxs anarquistas e de tendências similares, mais isso foi mudando.

Somos um grupo anti tecnológico que se propõe desestabilizar, com diversos meios, o normal funcionamento do Sistema Tecno industrial.

Em nossos comunicados não haverá citas de autoridade, o que tenhamos para dizer será dito com nossas próprias palavras (5).

Em nossos comunicados não se reivindicarám presxs nem mortxs.

Não somos anarquistas, nem primitivistas, nem unabomberistas.

Não nos somaremos a campanhas e datas supostamente importantes (6).

Isso tudo pelo momento, voltamos ao silencio.

Conductas incivilizadas

Notas:

  1. Cabe aclarar que o fato de que o vôo foi tido como destino a Santiago de Chile foi só por uma questão estratégica, não tem nada que ver com um ato solidário com grupos de ação o presxs de dita região.
  2. Em seu momento, esta ação não foi reivindicada pelo simples fato de que não cumpriu seu objetivo. Hoje pensamos diferente: todas as ações serão reivindicadas, tenham cumprido o não com seu objetivo, já que nos fazemos cargo de nossos atos sem importarmos as conseqüências.
  3. Exemplo disso e a ameaça de bomba ao vôo da LAN, que si bem não foi mediaticamente público, sabemos que o vôo esteve retrasado mais de três horas.
  4. Similar a esta conclusão e a que chegaram o “Grupúsculo Chuva de flechas”, trás a ameaça de bomba ao nono Encontro Nacional de Biotecnología.
  5. Não negamos a influencia de pessoas em nosso pensamento mais não queremos que nossas palavras sejam ditas por outros que não nos representam, nos representamos solos. Podemos ter certa proximidade com suas palavras o ações mais só isso, nada mas.
  6. Devemos reconhecer que a ação frustrada contra a Subestação Elétrica foi, em seu momento, para recordar ao anarquista Mauricio Morales. Si bem, com certas palavras de Morales ainda mesmo temos lembranças, não bastam para se solidarizar com uma pessoa, mas si essa pessoa está morta. Sabemos que alguns esquerdistas de turno se indignaram com nossas palavras. A realidade e que não queremos cair na miserabilidade que refletem muitos que usam o nome de um morto para alimentar seus próprios atos e obter prestigio o certo posicionamento na “guerra social”.
This entry was posted in Argentina, Guerra Social, Luta pela Terra. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *